IPO: O que é e como funciona?

Tempo de leitura: 4 minutos

À medida que vamos nos aprofundando nos conhecimentos sobre finanças, nos deparamos com mais e mais termos como IPO. Você sabe o que é isso e como funciona?

Se sua resposta foi “não” e IPO ainda é um território desconhecido para você, siga em frente com a leitura deste post!

O que é IPO?

IPO é a sigla em inglês para Initial Public Offering que, na tradução para o português, seria Oferta Pública Inicial. Essa oferta é feita quando uma empresa decide vender ações na Bolsa pela primeira vez, o que conhecemos como abertura de capital.

Em outras palavras, quando uma empresa realiza IPO ela está abrindo mão de parte de sua propriedade para disponibilizá-la a acionistas e investidores.

Já ouviu falar que eu ou você podemos comprar ações, por exemplo, da Petrobrás? Pois é, quando a empresa deu aos investidores essa possibilidade pela primeira vez, ela fez IPO.

Por que uma empresa realiza IPO?

Investidores compram ações de empresas porque esperam ganhar algum dinheiro com essa decisão, isso é fácil de entender. Agora, o que a empresa ganha em troca ao ceder parte de sua propriedade ao mercado?

Em geral, uma empresa faz IPO para captar recursos por meio da venda de suas ações. Como haveria de ser, isso apresenta vantagens e desvantagens.

Vantagens do IPO para a empresa

Não é qualquer empresa que tem condições de fazer IPO. Quando uma empresa decide abrir capital é sinal de que ela se tornou bem-sucedida o suficiente para atrair investidores ou, do contrário, suas ações não venderiam.

Com esse sucesso, o IPO vem para que a empresa consiga mais capital para dar sequência ao seu processo de crescimento. Assim, as principais vantagens associadas são:

  • Atrai os melhores talentos: como dito, quem fazer IPO consolidou seu sucesso. Se você tivesse a oportunidade, recusaria um cargo em uma empresa dessas? A possibilidade de receber ações tende a atrair talentos, o que é excelente para qualquer empreendimento;
  • Permite que os proprietários lucrem: donos de empresas bem-sucedidas trabalham muito para finalmente terem algum retorno. Com o IPO, os proprietários costumam vender uma porcentagem considerável de ações, chegando a fazer milhões de reais no dia da abertura de capital.

Desvantagens do IPO para a empresa

Por outro lado, aquilo o que é bom raramente acontece de graça, não é mesmo? Sendo assim, há algumas desvantagens em fazer IPO. Veja só:

  • Custo e burocracia: o processo para se tornar uma empresa de capital aberto é burocrático. Por isso, envolve a contratação de um banco de investimentos para viabilizar essa decisão, o que não sai barato;
  • Perda do controle da empresa: uma vez que a abertura de capital é feita, os proprietários da empresa passam a responder ao conselho de administração e aos outros grupos de acionistas. Com isso, acabam perdendo parte do controle sobre seu próprio negócio.

Como funciona o IPO

Lembra do custo e da burocracia? O processo que uma empresa enfrenta para fazer IPO tem duração média de um ano e custa mais de R$ 2 milhões em taxas e outras despesas.

É comum que um profissional seja designado como gerente do projeto e monte um time com o banqueiro de investimentos, contadores, especialistas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e advogados. Esse tipo é responsável por reunir a documentação necessária para que o processo se desenrole.

Primeiro, a empresa precisa montar um prospecto que contenha o histórico de três anos de suas demonstrações financeiras, ficando este documento aberto para receber comentários.

Depois, contratos de transição de propriedade são formulados e as demonstrações contábeis são submetidas a auditorias. Na etapa seguinte, cerca de três meses antes do IPO, o conselho deve se reunir para analisar a auditoria.

Com isso, a empresa pode ser incluída na Bolsa de Valores e o prospecto deve ser depositado junto à CVM, enquanto o comunicado do lançamento do IPO deve ser enviado à imprensa. Só então as ações da empresa podem ser lançadas pela primeira vez.

Desafios da oferta pública inicial

Como é de se esperar, a burocracia para o IPO está entre seus principais desafios, mas isso não é tudo. Ao abrir capital, uma empresa precisa atender a regulações da CVM e dos investidores e, como consequência, pode acabar tendo dados sigilosos se tornando públicos e podendo chegar até os concorrentes.

Exemplo de IPO

Existem diferentes exemplos de IPO que eu poderia apresentar a vocês. Vou me limitar a mencionar um, de 2020: o da empresa brasileira de hospedagem de sites e serviços de internet Locaweb.

Fundada em 2011, a Locaweb percorreu seu caminho em busca do sucesso, conquistando o reconhecimento do mercado financeiro ao fazer sua IPO cujo volume total da oferta foi de um R$ 1 bilhão de reais.

Gostou do post e quer seguir aprendendo sobre temas relacionados à Bolsa de Valores? Saiba o que é e como funciona o Circuit Breaker!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *